sábado, 3 de fevereiro de 2007

Súbete a la alfombra.





Quando os rapazes de Golem começam sua andaina de ravaleiros, a maioria erão ilegais,coma quase todo o bairro, cheio de magrebis, paquistanis,chinesses, hindis,subsaharianos, brasucas...
Ainda que não tudos erão músicos, nem artistas, sim que erão companheiros de viagem e de ilegalidade, de temores, desesperança e tristeça por terem que andar às agachadas da policia pede-papeis, da inseguridade de viver de prestado e não poderem desenvolver seu trabalho:
Não podiam tocar na rua com tranquilidade, nem sair de Espanha para tocar, nem viajar, nem fazer cousas tão simples como conduzir a furgoneta, asinar um contrato de travalho...Nada ou quase nada se pode fazer sem papeis.
Muita desta gente chegava de paises sem liverdade, na procura do paraiso. Mas, o paraiso, empezava na policia de inmigração e não era doado atopar a entrada .
Para tudos eles, esta canção. La alfombra voladora. Um canto à liverdade dos seres humanos de voar na alfombra mágica que os leve à terra própria e inalienável dos seus sonhos.
Seu coração aberto, mas a moeda, como a lua, como a vida, tem duas caras, ainda que às vezes, cai de canto.
Entra sin golpear




6 comentários:

luscofusco disse...

Akabo de escribir un comentario, pero e ke investigando o teu blog, atopei con esta nova. Nunca escoitara os Golem System, e a verdade é ke son moi bos. Pero tamen eu kería facerche unha aportación... non sei se algunha vez escoitaches a "La kinky Beat" ou a "La Pegatina", son tamén cataláns e para o meu gusto sonche moi bos. Espero ke tenhas oportunidade de escoitalos e ke che ghusten.

rifenha disse...

Claro que passaram por aquí. Todos os ravaleiros. PEssa é a ideia. Mas um a um. Agora ainda me quedam cousas que dizer de Golem System.
Obrigada por me visitar e polo comentário.
A rede é mágica. Um pode atopar surpresas imprevissíveis porque, como somos tantos em dança, sempre hà algo que descobrir.
Espero que sigas disfrutando das histórias dos ravaleiros.

Jorge P.G. disse...

Sim, a entrada no "paraíso" não é o que muitos imaginam quando partem.

Saudações de Lisboa.

Jorge - O Sino da Aldeia

rifenha disse...

Bem-vindo, denhor sino da aldeia.
Fico muito contenta de o ver por cà.
Saudações.

Arale Norimaki disse...

Eu tampouco coñecía aos Golem System, curioso que os teña que descobrer de regreso na terra, mais disque nunca é tarde :)

rifenha disse...

Algum havez tem estado na Galiza. De facto, Anxo, o trompetista, é meio galego meio catalam. Os demais, tudos são argentinos, mas consta-me que adoram a Galiza e se sentem muito perto de nós, emocionalmente.
Mas, às vezes, o facto de os grupos serem ou não conhescidos num determinado lugar, não é por sua vontade.
Tocarom em Carral, em Bueu, em Vimianço, na festa do asalto ao castelo, e não lembro se em algúm sítio mais.
Aguardo que venham mais vezes, pois, em directo, são ainda muitíssimo melhores. Um prazer.
Saudos a tudos e obrigada por compartir comigo vossas opiniões.