sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Convocar lembranças



No video da homenagem a Peret do ano 2000, viamos a vários grupos de gente nova participando com o velho??? rumbeiro.
Entre eles, o grupo do que vos vou falar hoje.
Eles chamam-se Dusminguet, e são, ante tudo, animadores de festas e contadores de histórias.
Quando escuitas sua música, o primeiro que sentes, é umha alegria coma a da nuite da verbena do Carme de Camarinhas, -ponho por casso, mas é extrapolável- e, inmediatamente após, um formiguim nos pés para dançar.

Dusminguet é um desses grupos de músicos totalmente livres, que fazem o que lhe acai e do que mais gostam, sem reparar em etiquetas, classificações ou farrapos de gaita dos entendidos.
Essa liverdade e essa alegria transmitem-se em sua música, que faz dançar e aledar o coração ao mais sombrio.
Em seu trabalho, mesturam tudo o que a gente precisa para se animar e dançãr, e bebem de muitas fontes das músicas populares de todo o mundo. Publicarom três trabalhos.
O primeiro, "Vafalungo", no 1998.
" un combo de la Europa del Sur, del Este y del Oeste, de la Europa Magrebí y sobre todo de la Mediterránea, donde la comunicación es una fiesta, donde la lengua no es un osbtáculo, donde los paises ni se olvidan ni se marginan simplemente se confunden y autoalimentan. Son un agradable recorrido sin prisas por los lugares más insólitos y cálidos del Mundo".
Este disco fui gravado em México e dou a volta ao mundo:
" recorrió casi todos los rincones, fiestas, plazas de pueblo, centros sociales, ateneos culturales, discotecas, clubs... de nuestro pais durante dos años. Reventó los principales festivales nacionales como: U ZONA REGGAE, ESPÁRRAGO ROCK, FIESTA DE LA DIVERSITAT-SOS RACISME, FESTIVAL DE ARBUCIES, LA MAR DE MUSICAS, OI!AGAROCK, MERCAT DE MUSICA DE VIC, SENGLAR ROCK, .....etc, etc. DUSMINGUET cautivaron al mercado francés, italiano y mexicano, donde está editado "VAFALUNGO". Su "VerbenaStyle" la gozaron en el MIDEM EUROPEO, LES TRANSMUSICALES, LES MÉDITERRANÉENNES DE CERET, el BATOFAR, el CANAL DU MIDI , FESTIVAL DE RADIOS EUROPEAS ALTERNATIVAS DE GRONINGEN, el FESTIVAL BAMBOO......."
O segundo trabalho, "Postrof", vem grava-lo aquí, ao Rif, concretamente a Chaouen, entre artesãos do tear, tendeiros bereberes, velhinhos fumadores de kiffi e turistas.
" "POSTROF" ha abrazado a músicos de casi todas las latitudes, desde Marruecos hasta Colombia, Brasil, Argentina, Santo Domingo y Macedonia. La presencia del trompetista NEAT VELIOV de la KOCANI ORKESTAR, Reyes de la Fanfarria Gitana, no es casual."
Pois esso, que também integram e tem um lugar relevante na sua música as fanfárrias de ciganos da Europa do Leste: rumanos, macedónios, sérvios, e demais, das que , pessoalmente, gosto tanto.
Se me ponho a escuitar a música de Dusminguet, amais de me sentir transportada à verbena do verão, em Vimianço, há um sentimento e umha lembrança muito mais mágica e profunda:
Os grupos de artistas ambulantes que passavam polas nossas vilas umha vez no ano, e actuavam ao ar livre, de nuite, rodeados de todo o povo.

Aqueles que traziam umha cabra que subia e baixava por umha escada, ou umha rapacinha que se contorcia para asombro do público, ou aquele ventriloquo que manejava seu boneco e fazia rir com suas graças a tudos os que não tinhamos nada para rachar a monotonia cotiã, apenas umha rádio e a visita anual dos titiriteiros.
Essas nuites eram mágicas. Toda a parróquia se reunia na praça, arredor, e no centro, aquele mundo mãgico que ia saindo de cada atuação.
Por esso gosto tanto da música de Dusminguet.
Porque me faz sonhar...
Porque me conta histórias...
Histórias do paraiso perdido da minha infáncia.
No 2003, sai seu último trabalho "Go".
"Acordeón, guitarra, bajo, djembe, batería, cajón..., todas las tonalidades de ese arco iris de world pagès music que ha iluminado la eclosión de Pomada, La Carrau, Aquitatxmé o Mesclat, nuevos aires para una escena catalana que admira su talante políglota –textos en catalán, castellano, inglés, francés, portugués, árabe- y, por supuesto, su natural universalidad."
Segundo opinião de Sisa, Dusminguet são a Orquestra Plateria do Século XXI.
Não sei se é certo ou não. Não sou entendida em música. O que sim posso dizer é que a sua música faz-me sonhar.



E umha história dum solteirom suposso que da Garriga, o povo dos fundadores de Dusminguet.
Aía vai "La rumba del solterón"


Rumbeta bona


El viatge


Dusminguet desapareceu como grupo. Agora continua como Troba-Kung Fu.
A sua música é a mesma de sempre, com a mesma alegria e a mesma mágia.
Já falamos de que a alquímia da criação colectiva é muito dura.
E também os moços novos precisam experimentar e procurar novos caminhos.

Velaí umha mostra do seu novo trabalho:



Na minha opinião, a música de Dusminguet tinha mais vida. Mas é apenas umha opinião .

5 comentários:

Jofre Alves disse...

Passei mais uma vez para ver e apreciar o blogue, que tem qualidade e bom gosto. Bom fim-de-semana.

rifenha disse...

Obrigada.
Bom fim-de-semana também para você.

jpg disse...

Muito interessante o que contas sobre os Dusminguet.

Ouvi e gostei particularmente da musica que está no vídeo.
Curioso casamento da rumba com a musica árabe, tanto nível rítmico como instrumental.
Suponho que tenham muita aceitação aí por Marrocos, não?

Um abraço desde Lisboa.

rifenha disse...

Pois olhe que Barelona, hoje, é um ferveduiro de gente e sempre fui umha cidade de mesturas.
Aqui em Alhoceima, não sei se conhesceram a estes grupos com menos difusão comercial e nas rádios.
Onde seguro que os conhescem, é em Xaouen.

Anônimo disse...

Hola, muy interesante el articulo, felicitaciones desde Mexico!