terça-feira, 18 de dezembro de 2007

A carreira musical mais longa. Sões de Sitar



Quando era umha rapariga, as freiras de Rubine levarom-nos ao cine-fórum para ver um filme mágico, por onde eu via passar a todas aquelas pessoas que quería ser para ver o mundo, rodearme de liverdade e fugir das tebras do aburrimento gris, da mesma cor que a roupa uniformada que era o distintivo da Orde Terciária, onde fiquei confinada para poder estudar, por sete anos.




No filme, Concierto para Bangla Desh, apareciam muitos músicos e cantores e, entre eles, um que ja é um homem idoso,-nasce no 1920- mas que ainda segue em activo.
Para falar de ele, temos de falar primeiro do instrumento que tange.
Instrumento de sões formosos e evocadores, como pingas de água que saltam dum chafarîs.
É un instrumento de cordas, como a harpa europeia, ou a kora africana. Tem em comum com esta, a grande cabaça que lhe faz de caixa de resoança, ainda que as diferências são notórias. O sitar, tem umha segunda cabaça no alto do mastro, e os trastes são cóncavos para acolher às cordas secundárias. A cuberta é de madeira dura.
O Sitar, é un instrumento de som delicado e brilhante, que é introduzido na India desde Persia, durante o Império Mogol.
Tem um total de entre 18 e 26 cordas que se tangem cumha pua-mizrab- ou com o dedo meiminho.
Da totalidade das cordas, quatro marcam a melodía, três levam o acompanhamento harmónico e rítmico e as outras, até um total de onze a dezanove, vibram por simpatía, a canda as cordas principais, e, com sua resoança, engadem corpo e textura ao som.
Um instrumento precioso, cum som muito sigular e espiritual:






Ravi Shankar, o músico vivo com a carreira musical mais extensa no tempo. Nado em Varanasi no 1920, Pandit Ravi Shankar, é o músico mais conhecido fóra da India e o que mais influiu na música "ocidental". Presentou-se por primeira vez fóra da India, na União Soviética, no 1954. No 1956 chega à Europa pre-capitalista e, desde esa, fixo-se muito popular.
Colabora com George Harrison, forma parte do elenco de músicos do filme "Monterrey Pop" que recolhe o festival de Monterrey, em plena era Hippie californiana-ese também o fum ver com as freiras, a outro cine-forum. Flipei com Jimi Hendrix, The Mamas &The Papas, Janis Joplin... Pobre meninha de Vimianço dos anos setenta, fechada num internado de freiras...! Quantas voltas tinha que dar o mundo para chegar a sentir que não tinha enveja da liverdade para ser e fazer o que me pete...!-
Como curiosidade, dizer que Ravi Sankar é o pai da cantante Nora Jones.

Deixo-vos uns videos, para que vejades tanger o sitar em vivo:

Aquí, um Ravi Shankar novo, ensina a tanger o sitar a George Harrison



Aquí tocando a serio. Os sões do sitar são preciosos:



Eis o filme no que eu vi a Ravi Shankar por primeira vez:

Explica como soa a Tabla, instrumento de percusão próprio da música india que acompanha ao sitar.



Espero que gostés desta mensagem, cheia de lembranças próprias e música de longe.

petejimijanis-copy.jpg MontereyPop1.jpg

10 comentários:

JR disse...

Ep Ravaleira! Hauries d'escoltar a Gualberto tocant flamenco amb sitar. Fa comprendre que es veritat que els gitanos venen de la India... et recomano el CD 'Contrastes', de Gualberto amb Ricardo Niño. En Gualberto va començar de hippy sevillano, amb el conjunt Smash, imitant Hendryx, però van intentar una mica de barreja de flamenco i rock aband de desfer-se i llavors ell es va posar a investigar una linia propia musical, sitar i flamenco. Escolta amb les orelles ben obertes i potser t'agradarà tant que en faras una entrada...

rifenha disse...

Ara mateix vaig buscar la música per escoltar.
Ens trobarem aqui para comentar , si tu vols.
Gràcies per l'informació.
Saluts.

CresceNet disse...

Gostei muito desse post e seu blog é muito interessante, vou passar por aqui sempre =) Depois dá uma passada lá no meu site, que é sobre o CresceNet, espero que goste. O endereço dele é http://www.provedorcrescenet.com . Um abraço.

admiradora de Bustamante disse...

Es un plazer ver este blog...
Besos y animo !!!!!!

Anônimo disse...

Gostei muito desse post é muito interessante .
Um abraço!!!!!

rifenha disse...

Gracias.
Besos también a tí.

rifenha disse...

Obrigada, anónimo.
Aleda-me que gostase.
Abraço para você também.

JR disse...

Hola Ravaleira! Has pogut trobar el Gualberto?

rifenha disse...

He pogut trobar informació d'en Gualberto i d'en Roberto Miño, peró no he pogut trobar música amb Ravi Shankar para portar al blog.
Her probat al itunes, al limewire, al torrent, i a paginas web i res de res.
Si tu saps on la puc trobar, t'agraeix l'informació.
Bom dia.

JR disse...

No em devia explicar bé, en Gualberto toca flamenc amb sitar però no crec que hagi tocat mai amb el Ravi Shankar (em sembla que no surt gaire de Sevilla). Si pots trobar el CD 'Contrastes' te'l recomano: el sitar fa com la veu d'un cantaor, i el Niño acompanya a la guitarra flamenca. Pots tenir un tast del Gualberto a la segona part de la rumbeta 'Después' de los Delinqüentes amb la Bebe (veig que també t'agrada la rumba -moi aussi).